“Pesquisa que aponta Dra. Ruth à frente é ilegal”, aponta Justiça Eleitoral

Levantamento realizado pelo Instituto Sebram e contratado pela empresa VS Publicidade foi proibido de ser divulgado.

Na noite de segunda-feira (11), o Juiz Eleitoral da 359a Zona Eleitoral, Gustavo de Azevedo Marchi, deferiu liminar a pedido do Partido Trabal  hista Nacional (PTN) de Itapevi para suspender a divulgação da pesquisa eleitoral realizada pelo Instituto Sebram. Na decisão, o juiz afirmou que a “concessão da liminar é medida de prudência, uma vez que a divulgação de pesquisa eventualmente irregular poderá acarretar dano de difícil reparação ao representante”.

decisa%cc%83o_02de02  “Pesquisa que aponta Dra. Ruth à frente é ilegal”, aponta Justiça Eleitoral Decisa  o 02de02

A Justiça Eleitoral apontou ainda que, conforme a atual legislação e indicação do Ministério Público, faltam informações tidas como obrigatórias para o registro da pesquisa. “Deixaram pelo menos de informar o valor dos serviços contratados e de anexar cópia da nota fiscal correspondente ao serviço prestado”, ressaltou o Juiz. Apesar da decisão judicial, o jornal regional que publicou a referida pesquisa, foi distribuído na cidade na terça-feira (12) e no dia seguinte (13).

Registrada sob o número SP-04826/2016, e contratada pela empresa VS Publicidade, a pesquisa apresenta “vícios formais do registro de pesquisa eleitoral perante ao TSE, problemas na metodologia adotada, com a exclusão de bairros importantes, ausência de utilização de dados oficiais do IBGE e irregularidades no plano amostral, bem como possui indícios de fraude”, afirmou o advogado do PTN Itapevi, Marco Antonio da Silva. Ainda segundo ele, “a pesquisa é errônea e dá a entender que foi realizada para causar desinformação e confusão”.

decisa%cc%83o_01de02  “Pesquisa que aponta Dra. Ruth à frente é ilegal”, aponta Justiça Eleitoral Decisa  o 01de02Para tratar do assunto, o PTN e o PSD de Itapevi realizaram coletiva de imprensa na tarde da quarta-feira (13). Na oportunidade, o presidente do PTN e pré-candidato a prefeito, Igor Soares, afirmou que se entristece em presenciar atos de desrespeito à população. “Como em todas as campanhas ultrapassadas, que trazem consigo a velha forma de se fazer política, começam a circular jornais em Itapevi que visam mudar o pensamento do eleitor, muitas vezes distorcendo informações e difamando pré-candidatos. Jornais que nunca circularam de forma regular na cidade, agora passam a ser distribuídos de casa a casa, gratuitamente, de forma sorrateira e descomprometida com o morador de Itapevi”, destacou.

“Estão tentando enganar o povo itapeviense com pesquisa ilegal, conforme apontou a Justiça Eleitoral, mas isso nós não vamos admitir. A verdade vai vencer. Vamos defender a população”, finalizou Igor Soares.

Exemplares são apreendidos em Itapevi

A Polícia Militar apreendeu na manhã da quarta-feira (13) oito fardos do Jornal Diário da Região, cerca de cinco mil exemplares, que veiculava resultado da pesquisa suspensa pela Justiça Eleitoral. “Causa estranheza constatar que o jornal administrado pelos mesmos sócios da empresa que contrataram o Instituto Sebram tenha divulgado a pesquisa na terça-feira, dia 12, mesmo tendo conhecimento da decisão da Justiça. Além disso, apesar de se denominar Diário, circulava com edição antiga, que continha a pesquisa, no dia seguinte, 13”, questionou o advogado do PTN, Marco Antonio.

Outro apontamento realizado pelo advogado é que o jornal, que deveria ser comercializado a R$ 1,00, conforme descrição na capa, estava sendo entregue gratuitamente, de porta em porta. Consta no Boletim de Ocorrência registrado na Delegacia de Polícia de Itapevi que o prestador de serviços da empresa Distribuidora Sampa já havia distribuído cerca de 4500 exemplares em Itapevi, além dos exemplares aprendidos. “O jornal deveria ser vendido e está sendo distribuído gratuitamente. O que também pode caracterizar abuso do poder econômico e de comunicação”, acrescentou Marco.

Presente à coletiva, Marcos Godoy, o Teco, pré-candidato a vice e presidente do PSD, destacou que se necessário vai recorrer ao Ministério Público e à Justiça. “O Ministério Público precisa buscar quem é o grande interessado em veicular, pagar e entregar uma matéria nitidamente tendenciosa, para confundir o eleitor já na pré-campanha”, disse Teco, que presenciou a entrega da publicação no bairro Parque Suburbano, onde foram apreendidos os exemplares.

Crédito da foto: Divulgação
Legenda: “Estão tentando enganar o povo de Itapevi com pesquisa ilegal, conforme apontou a Justiça Eleitoral, mas isso nós não vamos admitir. A verdade vai vencer e nós vamos trabalhar com a verdade”, afirmou Igor Soares em coletiva

Print Friendly, PDF & Email  “Pesquisa que aponta Dra. Ruth à frente é ilegal”, aponta Justiça Eleitoral printfriendly pdf button nobg


Artigos relacionados


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *